70% dos brasileiros não querem o direito de escolher vacina, diz pesquisa

Levantamento exclusivo do Paraná Pesquisa (veja abaixo) para o site Diário do Poder e a coluna Cláudio Humberto revela que a grande maioria dos brasileiros (70,2%) não considera importante o direito de escolher a marca da vacina; apenas 29,8% gostariam de ter opções.

Mas, solicitados a apontar uma vacina confiável, apenas 20,5% se dizem indiferentes. A maioria escolhe a CoronaVac (23,6%), seguida da AstraZeneca (21,2%) e Pfizer (11,3%). A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

 

(Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vacina Covaxin apresenta eficácia de 81%, diz laboratório indiano

A empresa indiana Bharat Biotech, sediada na cidade de Hyderabad, anunciou nesta quarta-feira (3) os resultados clínicos da fase 3 da vacina Covaxin, que demonstraram eficácia interina de 81% contra a covid-19.

Os dados foram coletados após testes em 25.800 participantes que receberam uma dose do imunizante ou placebo. Os estudos foram conduzidos em parceria com o Conselho Indiano de Pesquisa Médica (ICMR) e o Instituto Nacional de Virologia (NIV).

Além da eficácia, a Covaxin demonstrou resposta imunológica (imunogenicidade), que foi significativa também contra as variantes do novo coronavírus. No estudo, 36 dos 43 casos foram registrados em participantes que receberam o placebo, em comparação com sete casos em pessoas que receberam a vacina.

Uma nova análise provisória está planejada quando houver o registro de 87 casos, e a análise final está planejada ao se atingir 130 casos, informou a Bharat Biotech. Todos os dados das análises serão publicados em veículos especializados e submetidos a revisão por pesquisadores independentes, assegurou o laboratório.

A Covaxin é usada no combate à covid-19 por meio da aplicação de duas doses, a partir de vírus inativado. A pesquisa também recebeu o apoio apoio da Fundação Bill & Melinda Gates. A vacina é apresentada em frascos multidoses, e pode ser armazenada em temperaturas que variam de 2ºC a 8ºC, de acordo com a fabricante. O imunizante é um dos dois que foram aprovados para uso emergencial pelo governo indiano.

No Brasil, o Ministério da Saúde já tem contrato assinado para a compra de 20 milhões de doses da Covaxin. O investimento total foi de R$ 1,614 bilhão e, segundo a pasta, as primeiras 8 milhões de doses do imunizante devem começar a chegar em março.

Paraná recebe mais 146,8 mil doses da vacina contra a Covid-19

O Paraná recebeu mais 146,8 mil doses da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. O novo lote chegou ao estado na manhã desta quarta-feira (3).

Até terça-feira (2), 317.461 pessoas haviam sido imunizadas no Paraná, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Destas, 112.820 receberam duas doses do imunizante.

Com o novo lote, até agora, o Paraná recebeu 853 mil doses de vacinas contra a Covid-19 do Ministério da Saúde. Atualmente, as unidades enviadas são da CoronaVac/Butantan e Oxford/AstraZeneca.

Leia mais no G1